Add your voice to our December Thunderclap for the new Rainwater Book

Jardim Vertical do CCAT

From Appropedia
Jump to: navigation, search
Português - English


Projeto final do Jardim Vertical

Resumo[edit]

Jardim Vertical é um sistema de cultivo vertical no qual promove reciclagem de nutrientes. É perfeito para telhados, pátios, varandas, terraços e praticamente qualquer lugar relativamente ensolarado. Fácil de gerir por apresentar uma estrutura móvel e não muito pesada, sendo esta uma estrutura cilíndrica no qual pode se alocar vários tipos plantas produzindo concomitantemente compostagem. A torre botânica é muito prática porque combina vários benefícios. Utilizando-se restos de comida para produção de nutrientes para os vegetais, contribuindo assim para a redução de resíduos e lixo, e, consequentemente, com o aumento da produção vegetal diminuir o consumo de alimentos comprados.

Contexto[edit]

Fig. 01 - Local onde será alocado o jardim vertical.

O Jardim Vertical do CCAT está localizado no Centro de Tecnologia Apropriada (CCAT) na Universidade Estadual de Humboldt, Arcata, no norte da California, EUA. CCAT é uma organização focada na sustentabilidade, com o objetivo de disseminar informações sobre a tecnologia apropriada em um “laboratório vivo”. Nosso projeto foi criado na Primavera-2015 por Camila Ribeiro, Fernanda Franco, and Pamela Melo em associação com o CCAT.

Jardim vertical, também conhecido como parede verde, é uma técnica moderna de paisagismo cada vez mais difundida no mundo [1]. As vantagens desta técnica são: a melhoria da qualidade do ar e da humidade, isolamento térmico e acústico, e a utilização de pequenos espaços para acomodar uma variedade de espécies de plantas ornamentais ou (alimentos). Este novo tipo de paisagismo teve origem com o botânico francês Patrick Blanc, que é especialista em plantas de floresta tropical, sendo responsável pela inovação e a popularização do jardim vertical. Podendo ser implantado em ambientes fechados ou ao ar livre.

Os critérios foram escolhidos com base nos interesses de CCAT. Os critérios irão ajudar avaliar qual tecnologia é mais apropriada para Jardim Vertical. A escala representa o nível de importância de 1 a 10, onde 1 é o critério de menor importância e 10 (maior importância).

Objetivos[edit]

O objetivo deste projeto é desenvolver um jardim que irá utilizar a menor quantidade de espaço possível e também ser uma boa fonte de alimento para o Centro de Tecnologia Apropriada (CCAT). A fim de desenvolver um projeto efetivo, pretendemos:

  • Escolher um local dentro da propriedade do CCAT no qual receba luz solar suficiente para as plantas;
  • Projetar um jardim vertical que irá tornar possível o crescimento dos alimentos;
  • Cultivar preferencialmente espécies nativas de plantas.


Critérios[edit]

Os critérios foram escolhidos com base nos interesses de CCAT. Os critérios irão ajudar avaliar qual tecnologia é mais apropriada para Jardim Vertical. A escala representa o nível de importância de 1 a 10, onde 1 é o critério de menor importância e 10 (maior importância).

Critérios do projeto Condicoes Pesos
Comida A producao de comida deve ser abundante; quanto mais, melhor. 10
Durabilidade Deve ser resistente; quanto mais, melhor 10
Sustainabilidade Quanto mais sustentavel, melhor. 9
Uso e Manutencao Deve ter facil de utilizar e manter. Quanto mais facil, melhor. 8
Valor educacional Quanto maior, melhor. 7
Custos Quanto menor, melhor. 6

Revisão Literária[edit]

Material usado no projeto[edit]

Fig. 01 - Barril Utilizado na construção do Jardim Vertical.

A utilização de barris de plástico é uma maneira versátil e barata para se construir a estrutura do jardim vertical. O processo de fabricação de plástico é essencialmente a recuperação e reciclagem de resíduos de polímeros, uma vez que o seu processo de decomposição natural é longo e fundamental para o equilíbrio ecológico [2]

Polietileno de alta densidade (HDPE) possui qualidades importantes, tais como durabilidade, impermeabilização, resistência à corrosão e ductilidade. Devido à alta flexibilidade do HDPE, este material é menos suscetível a danos causados ​​por extremos, tais como vibração e choque. HDPE tem excelente resistência à água sem segurar o dióxido de carbono ou oxigênio.[3]

O aspecto físico do solo refere-se a textura e estrutura, sendo textura o componente mais importante. A textura de um solo relaciona-se com o tamanho dos grãos formados, onde sua composição varia em diferentes proporções de areia, argila, matéria orgânica, água, ar e minerais. Um solo bem estruturado deve ser macio e poroso no qual permite a penetração da água e do ar, bem como animais pequenos e raízes. Os aspectos químicos do solo também são importantes e estão relacionados aos nutrientes necessários às plantas. Estes nutrientes dissolvidos na água do solo (solução) penetram através das raízes e são conduzidas à outras partes dos vegetais. A produção orgânica de nutrientes pode ser fornecida através de adição de compostos de matéria e vegetais orgânicos. O aspecto biológico lida com os organismos vivos existentes no solo, trabalhando em aspectos físicos e químicos do solo. A vida no solo só é possível onde há ar, água e nutrientes suficientes. Microrganismos do solo são os principais agentes de transformação química de nutrientes, tornando-os disponíveis para a absorção pelas raízes das plantas. A presença de organismos vivos indica uma boa estrutura do solo. [4]

Há características específicas relativas a semeadura que se deve considerar ao plantar um jardim, como o momento do plantio, pureza e porcentagem de germinação das sementes, disponibilidade da mesma e ciclo de colheita, desenvolvimento da planta, resistência ao ataque de pragas e doenças, produtividade da espécie, aparência do produto, sabor, quando plantas, umidade do solo e necessidades nutricionais. Dado que cada vegetal tem suas características próprias quanto ao ciclo de vida, escolher a melhor variedade de sementes aumenta-se a possibilidade de sucesso de taxa de germinação. [4]

Para evitar ervas daninhas e conservar a umidade do solo, é recomendado o uso de estofamento de plantas e aplicação de cobertura de compostagem. A remoção de ervas daninhas pode ser uma tarefa difícil, por isso é mais fácil evitar que os mesmos cresçam. Para isso, um dos métodos mais seguros e eficientes é privar estas ervas de luz e ar. [5]

Paisagismo[edit]

Paisagismo é definido como a arte e técnica de promover a concepção, planeamento, gestão e preservação de espaços abertos, urbanos ou não, a fim de transformar as micros e macros paisagens. [6]

Jardins alternativos podem ser utilizados como método de arborização urbana. Jardins alternativos são uma técnica prática, econômica e moderna, que pode ser produzido em qualquer ambiente, interno e externo, pequeno ou grande. Além disso, eles são uma forma de colaborar com o meio ambiente, reutilização de materiais que seriam descartados.

Árvores urbanas, jardins verticais, calçadas, telhados verdes vivos, e jardins filtrantes são técnicas que além de melhorar a aparência do ambiente estão ajudando a melhorar a qualidade ambiental, especialmente nos grandes centros urbanos. Os benefícios destas técnicas verdes diminuem o calor, aumenta a umidade, diminuiu a erosão, e apresenta uma melhor drenagem da água, preservação ambiental e atração de aves. [7]

Jardim Vertical[edit]

Fig. 02 - Como funciona o Jardim Vertical - Veja mais em: http://www.gardentowerproject.com/#sthash.aaJ1XDNg.dpuf

O Jardim Vertical é uma ferramenta utilizada em paisagismo e consiste no revestimento de paredes, internas ou externas, usando vegetação diversa, a fim de melhorar a qualidade ambiental. Esses benefícios incluem temperatura e umidade, mas também há ganhos estéticos, ajudando e mitigando a falta de áreas verdes em áreas urbanas. Jardins verticais são uma excelente estratégia de redução de poeira e ruído, protegem as paredes contra o sol, e também auxiliam no sequestro de carbono, melhorando assim a qualidade da vida humana. [1]

O jardim vertical é uma tecnologia relativamente nova e requer pouco espaço, o que é uma grande vantagem, uma vez que na maioria das cidades o espaço para o paisagismo é escasso, especialmente em áreas densamente povoadas. [8]

Sendo assim, uma orientação vertical pode fornecer um eficaz número de plantas ou vegetais em um delimitado espaço, criar um bonito padrão estético, maximizar a utilização do espaço, aumentar a captura de luz existente, e simplificar a irrigação das plantas. [1]

Agricultura[edit]

Agricultura inclui todo o trabalho relacionado com o tratamento do solo e da vegetação. As atividades agrícolas são destinadas à produção de alimentos e obtenção de vegetais, frutas e grãos.[9] O surgimento da agricultura foi um passo essencial para o desenvolvimento da humanidade. Historiadores afirmam que, durante o período Neolítico, o homem que antes caçavam, pescavam e colhiam começaram a utilizar as atividades agrícolas e pecuárias. O trigo e a cevada foram as primeiras plantas a serem cultivadas. [10] Acredita-se que as pessoas começaram a desenvolver a agricultura quando a temperatura se tornou mais suave e a comida mais escassa em algumas regiões. [9] Com a agricultura, foi possível aumentar a quantidade de alimento disponível para as pessoas. Por outro lado, a sociedade se tornou sedentária. A agricultura permite existir assentamentos humanos com maior densidade populacional do que pode ser suportado pela caça e coleta de alimentos. [10]

Produção de Alimentos[edit]

A preocupação dos consumidores sobre os alimentos tem aumentado durante as últimas décadas. [11] Anteriormente, a comida era somente para sobrevivência, sendo assim a qualidade dos alimentos não era uma prioridade. Durante os anos 1950 e 1960, as pessoas trabalharam para melhorar a cadeia de produção alimentar, com o desenvolvimento de novos aditivos (conservantes, estabilizantes, espessantes, etc.). As pesquisas em tecnologia de alimentos aumentaram, e nos anos posteriores (70 e 80), o foco da pesquisa Wason foi a eliminação de componentes prejudiciais à saúde (tais como, cerveja sem álcool e café descafeinado), bem como alimentos com açúcares e gorduras reduzidos ("light" e "diet"). Nos anos 90, a comida começou a ser vista como sinônimo de bem-estar, reduzindo o risco de doenças, bem como sendo um veículo para uma melhor qualidade de vida. [11] Produtos especiais, tais como alimentos funcionais ou orgânicos está em evidência atualmente, reforçando a idéia de que a comida é um fator crítico na manutenção da saúde. Simultaneamente, houve uma evolução na qualidade e pureza dos alimentos, especialmente em relação aos itens potencialmente tóxicos para os seres humanos, como o uso de pesticidas e antibióticos em produtos de origem animal. Isto é em parte devido ao fato de que a agricultura não é mais considerada de forma isolada mas sim desde as atividades industriais e comerciais que envolvem as cadeias de alimentos e bebidas. [12] Os sistemas alimentares compreendem todos os aspectos da produção, distribuição e consumo de alimentos. A conexão entre a qualidade dos alimentos e a saúde humana, juntamente com o uso crescente de ecossistemas naturais em torno de áreas agrícolas, é parte da nova abordagem do "sistema alimentar", que inclui os sistemas culturais que influenciam os valores e as crenças das pessoas sobre como produzir e consumir alimentos.[13]

Compostagem[edit]

A compostagem é um processo no qual o material orgânico é usado para criar uma boa fonte de nutrientes ajudando no crescimento das plantas. Basicamente, os microrganismos decompõem a matéria orgânica em moléculas nas quais as plantas podem utilizar para o seu metabolismo. Um bom composto tem uma boa relação de carbono e nitrogênio. Uma boa fonte de carbono (C) vem de vegetais, e de nitrogênio (N) é encontrada principalmente em resíduos de animais. Uma boa relação C / N para a compostagem é entre 20 e 30 (para cada 2 ou 3 partes de carbono, 1 de nitrogênio). Em um processo de compostagem, é necessário dispor de matéria orgânica, minerais, água, microorganismos e oxigénio. O processo gerará calor, CO2, água, e o composto final. [14]

Existem algumas preocupações em colocar uma câmara de compostagem no meio de um jardim vertical, como por exemplo a fonte de oxigênio. Na ausência de oxigênio, os microrganismos irão utilizar produzir ácidos, amônia e gás metano (gás de efeito estufa com maior potencial prejudicial para a temperatura ambiente do que o CO2). [15] Por isso, não é nosso interesse ter um processo de decomposição anaeróbia acontecendo. Uma outra preocupação é a temperatura, durante o processo de decomposição a temperatura pode atingir até 65 ° C, o que pode queimar o material de compostagem e o solo que o rodeia. [14]

Vermicultura[edit]

Há um tipo diferente de compostagem chamado vermicompostagem, que é um processo de decomposição utilizando minhocas. Vermicultura combina microorganismos e minhocas para um processo mais rápido, produzindo menos calor; este é perfeito para o nosso projeto de jardim vertical. Os animais irão se alimentar da matéria orgânica e suas fezes servirá como fonte nutriente para as plantas. A temperatura do processo pode chegar a 30 ° C, sendo esta mais elevada do que a temperatura ambiente em Arcata, CA, mas é suportável para as raízes das plantas. Existem muitas outras vantagens no uso de minhocas para a compostagem, tais como a produção de chá de composto, que contém uma grande quantidade de nutrientes que podem ser recolhidos e dispostos sobre o solo. O chá pode ser descartado diretamente na folhagem da planta.[16] Além disso, as minhocas precisas de um ambiente úmido; se a sua pele seca, estes animais não sobrevivem. [17] Portanto, portanto é importante irrigar o sistema regularmente.

Construction[edit]

Como construir um Jardim Vertical
ImageStep
Adquiring the material Step 1 : Aquisição do material :

- Barril de 190 litros.

- 150 cm de cano PVC (10 cm de diâmetro).

- Base para o barril.

- Cola de Silicone.

- Adaptadores e Tampas para o fundo e topo do cano.

- Ferramentas (furadeira, faca, serra, etc.)

Cutting the barrel Step 2 : Desenhar o local onde os cortes serão alocados.

Com a ajuda de uma faca ou serra faça buracos no barril.

O tamanho dos cortes dependem do tipo de vegetal que será cultivado.

Heat the plastic and open the holes Step 3 : Usando uma ferramenta no qual aquece o plástico foi adicionado uma madeira dentro dos buracos do barril,

com a função de aumentar tais buracos.

Make holes in the pvc and in the bottom of the barrel Step 4 : Usando uma furadeira foi feito uma série de buracos ao longo do cano.

Uma série de pequenos buracos foi feita no fundo do barril para drenagem de água e também um grande buraco no centro para acoplar o cano.

fit and paste the pipe in the barrel Step 5 : Encaixar o cano dentro do barril e vedar todos os buracos usando uma cola de silicone.
Basis Step 6 : Fazer a fundação que suportará o barril.

Neste caso, foi reutilizado uma estrutura de metal móvel, no qual foi necessário fazer um buraco no centro para acoplar o cano.

Pode-se também utilizar madeira ou cimento.

Fit the barrel in the basis Step 7 : Anexar o barril a base com parafusos em ordem de se manter bem fixo.
Fixing the pipe Step 8 : Em ordem de manter o cano fixo ao barril, foi adicionado um pedaço de metal dentro do cano e fixado no barril.
Add soil Step 9 : Adicionar solo ao barril. Não adicionar dentro do cano.

É recomendado que se utilize um solo de jardinagem, pois o mesmo já é fertilizado.

Se utilizar outro tipo de solo, talvez será necessário fertilização.

Plating Starters Step 10 : Após adicionar o solo, é hora de plantar as mudas ou sementes dos vegetais e regar com água.

Neste projeto foi utilizado mudas.

Após a plantação é necessário regar.

Add Kitchen scraps and worms Step 11 : Adicionar restos de alimentos e minhocas dentro do barril. Manter o cano tampado.

Linha do Tempo[edit]

Data Atividade
17/02/15 Aquisição do barril.
20/02/15 Cortar o barril.
26/02/15 Furar o barril.
09/04/15 Aquisição do cano e dos adaptadores.
16/04/15 Furar o cano e fixá-lo ao barril.
23/04/15 Fixar o barril à base.
01/05/15 Comprar solo, plantas, e minhocas.
02/05/15 Adicionar ao barril o solo, plantas as mudas, adicionar as minhocas e restos de comida.

Custos[edit]

# # Unidade Material Local Unidade de custo ($) Total ($)
1 Unid Barril 190 L Mad River Garden 32.24 32.24
300 Cm Cano Pierson Building Center 0.99 9.99
1 Unid Tampa topo Pierson Building Center 2.49 2.49
1 Unid Tampa fundo Pierson Building Center 2.99 2.99
1 Unid Adaptador Pierson Building Center 3.99 3.99
3 Saco Solo Mad River Garden 7.49 22.47
6 Pacote Mudas Mad River Garden 2.99 17.94
1 Unid Transporte Plaza Cab 11.25 11.25
500 Grama Minhocas Eureka Market 30.00 30.00
1 Unid Cola de Silicone Pierson Building Center 5.49 5.49
Total Cost $ 138.85

Funcionamento[edit]

Para o funcionamento do jardim vertical é muito importante manter a eficiência do jardim. Se não feita corretamente, as plantas podem não serem capazes de se desenvolverem e os recursos gastos no projetos perdidos.

Manutenção[edit]

Como qualquer jardim, o jardim vertical precisa de atenção especial. É importante sempre manter o solo úmido, evitar lugares sombreados e remover plantas indesejáveis. O diferencial deste projeto é a câmara de compostagem e saber como usa-lo faz toda a diferença no desenvolvimento das plantas.

Chá do Composto[edit]

Sempre que você regar as plantas, uma parte da água será drenada para o fundo do barril. Esta água é chamada de chá do composto, e está repleta de nutrientes e pode ser reutilizada pelas folhas das plantas, nas quais estão aptas para extrair os nutrientes.

Tubo de Compostagem[edit]

Inicialmente é necessário adicionar restos de alimentos ao menos uma semana antes de adicionar as minhocas. Elas não se alimentam de vegetais frescos e verdes, apenas vegetais que já estão se decompondo. É recomendado o uso de restod de alimentos em pequeno tamanho para rápida decomposição. Não adicione carne ou produtos lácteos, e evite caroços de abacate, espigas de milho, etc. Recomenda-se também usar um material que sirvo como estrato, em uma relação 2:1 (a cada 2 partes de restos de alimentos, 1 parte de material), como papel picado ou solo, irá ajudar na drenagem da água, fluxo de ar,e balanço nutricional. A melhor espécie de minhoca para se utilizar é a Red Wiggler. Inicialmente é necessário adicionar somente uma xícara de minhocas (60 ml) no cano. Elas irão naturalmente se reproduzir dentro do cano, e poderão ser reutilizadas quando o composto estiver pronto. O cano pode ser esvaziado de duas a quatro vezes por ano, sendo que uma parte do composto deve ser retornada ao cano de compostagem.

Seleção de Plantas[edit]

Pode-se plantar vegetais, ervas e flores no jardim vertical. É recomendado utilizar mudas de 8 a 15 cm de tamanho. É preferível colocar cenouras, pimentas, alho, tomates, etc, na parte superior do barril. Na parte inferior, pode-se plantar plantas que tem hábitos rasteiros, como por exemplo pequenos melões. Após colher os vegetais, você pode reutilizar as raízes no tubo de compostagem, se as mesmas não forem muito lenhosas.

Agenda[edit]

Diário
  • Regar as plantas.
  • Adicionar resto de alimentos.
Semanal
  • Adicionar solo ou papel picado no cano.
  • Adicionar o chá de composto no topo do barril.
A cada 3-6 meses (quando o tubo de compostagem estiver cheio)
  • Remover o composto pelo fundo do barril.
  • Adicionar uma pequena parte de composto de volta ao cano
  • Adicionar mais minhocas.
Anual
  • Replantar.(Se necessário)

Instruções[edit]

Como Manter o Jardim Vertical
ImageStep
Adding kitchen scraps Step 1 : Para começar, adicione 25 cm de resto de comida dentro do cano e logo em seguida adicione 10 cm de solo ou papel cortado.
Adding worms Step 2 : Adicione 2-4 xícaras de minhocas.

Certifique-se de escolher uma espécie que esteja adaptada ao ambiente no qual será alocado o projeto.

Making composting Step 3 : Adicionar regularmente restos de comida sobre o composto.

Certifique-se de não adicionar carta ou produtos lácteos e colocar alimentos com tamanho menor, de maneira a aumentar a taxa de decomposição.

Drawing composting Step 4 : Esvaziar o composto via acesso do fundo do barril e colocar o composto no top do barril para fertilizar o solo.
Watering soil Step 5 : Regar o solo no topo do barril regularmente.
recycling water Step 6 : Coletar o excesso de água no fundo do barril e colocá-lo no topo do barril (chá de composto).

Conclusão[edit]

Resultados dos Testes[edit]

É difícil ter resultados imediatos em um projeto como este. É necessário esperar para ver como as plantas e o vermicomposto irão se desenvolver. No entanto, a manutenção adequada é essencial para esse projeto funcionar corretamente. As plantas precisam de ser regadas regularmente, como qualquer outro jardim. Quanto a durabilidade da estrutura do jardim, estamos muito otimistas. Usamos um material resistente, e nós tomamos muito cuidado para construí-lo; sempre pensando no futuro do projeto. Acreditamos que a torre será útil por um longo período de tempo.

Discussão[edit]

Acredita-se que o jardim executará seu próprio ciclo de nutrientes. Sendo assim, nós acreditamos fortemente que não haverá necessidade de alterar o solo ou até mesmo fertilizá-lo. Uma sugestão é usar o composto a partir do fundo para replantar sementes, ou derramá-lo no topo do solo. A câmara de compostagem é a chave neste jardim, e é necessário sempre verificar se as minhocas estão vivas, se elas estão consumindo o material, se a temperatura não está muito alta, etc. Se algum destes problemas acontecerem, teremos que encontrar a fonte e tentar corrigi-los.

Lições Aprendidas[edit]

Durante o processo de construção deste jardim enfrentamos algumas dificuldades, especialmente relacionado com as ferramentas para construção do mesmo. Foi essencial o apoio que tivemos dos membros do CCAT e professores da universidade que ajudaram a superar as dificuldades. Conversar com uma pessoa experiente e local é a chave para o sucesso do projeto. Outra lição muito importante que aprendemos é que precisamos de um bom método para segurar o tubo no barril. Em nosso projeto usamos uma barra de metal na parte superior para evitar que desça e se desprenda do barril. No início, nós estávamos usando somente cola de silicone, o que não foi suficiente.

Próximos Passos[edit]

A partir de agora, temos de ter um cuidado contínuo com as plantas, encher sempre a câmara de vermicomposto, e removê-lo quando pronto. Num ano, as plantas irão precisar ser substituídas, mas isto não provocará grandes alterações na torre. Enquanto o vermicomposto ainda está sendo produzido, os nutrientes necessários no solo é renovável.

Solução de problemas[edit]

A tabela abaixo mostra os possíveis problemas, causas e soluções que podem acontecer com a torre vertical. Para quaisquer outras questões, não hesite em entrar em contato com os membros deste grupo listado na parte inferior desta página. Teremos o maior prazer em ajudar.

Problema Solução
Os minhocas se amontoaram dentro do cano. Esvaziar o tubo e colocar uma parte das minhocas no solo. Isso pode acontecer devido à compactação do solo,

e é necessário adicionar minhocas no solo, a fim cavar túneis ajudando na aeração do solo.

Odor desagradável no vermicomposto. Esvaziar e lavar o tubo, remover o líquido que possa estar acumulado.
Excesso de água no tambor e nenhum escoamento da água. Adicione mais ou maiores furos no fundo do barril.
Diminuição da taxa de compostagem. Você deve adicionar mais minhocas no cano e restos de alimentos de menor tamanho.

Certifique-se de não adicionar produtos lácteos ou carne dentro do cano.

Aparição de fungo no projeto. É totalmente aceitável.
Vegetais estão grandes demais para os buracos no barril. Aumentar o tamanho dos buracos no barril ou escolher espécies de vegetais menores.

Grupo[edit]

Referências[edit]

  1. 1.0 1.1 1.2 BLANC, Patrick.The jardim vertical: da natureza à cidade. WW Norton & Company, Nova Iorque, EUA. P 192, 2008. https://books.google.com/books?hl=en&lr=&id=GRiV6E_xn8gC&oi=fnd&pg=PA6&dq=vertical+garden+&ots=hcEUZ1NdS0&sig=WDN6CdAPObZrEEdCowqQUGjf9n8#v=onepage&q=vertical%20garden&f=false
  2. PIVA, A. M.; WIEBECK, H. Reciclagem do plástico. São Paulo: Artliber, 2004 https://www.univates.br/tecnicos/media/artigos/artigo_diego_wermann.pdf
  3. ReciclaBrasil- Gerenciamento, coleta, tratamento, destinacao e viabilizacao de reaproveitamento de residuos pos-industriais. Sao Paulo. 1994 http://reciclabrasil.net/hdpe.html
  4. 4.0 4.1 TORRES. C. Manual Clube do Jardim- Horta Organica Domestica. São Paulo. 2008 https://permacoletivo.files.wordpress.com/2008/06/manual-horta-organica-domestica.pdf
  5. GREENWOOD. Pippa. London. 1998. Gardening Hints and Tips https://books.google.com/books?id=nD7ixKYE2nwC&pg=PA49&dq=solo+plantacao&hl=pt-BR&sa=X&ei=aU_YVLCfIYqXNpqfhOgJ&ved=0CFMQ6AEwCQ#v=onepage&q=solo%20plantacao&f=false
  6. MACEDO, Silvio S. Quadro do Paisagismo no Brasil. São Paulo: Coleção Quapá, 1999.<http://pt.scribd.com/doc/211486184/Quadro-do-Paisagismo-no-Brasil-Silvio-Soares-Macedo-pdf#scribd.>
  7. GENGO, Rita C.; HENKES, Jairo A. A utilização do paisagismo como ferramenta na preservação e melhoria ambiental da área urbana. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 55 - 81, 2013.http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/gestao_ambiental/article/view/1206/1000.
  8. COSTA, Carlos Smaniotto, Jardim Vertical . Web artigo <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/12.133/3941.2001.>
  9. 9.0 9.1 J. Porta Casanellas, M. Lopez-ACevedo. Reguerin, C. Roquero de. Laburu, Book: Edafologia: para la agricultura y el medio ambiente. 1994. 807 p.
  10. 10.0 10.1 KHATOUNIAN, C. A, Ecological reconstruction of agriculture. Book: A reconstrução ecológica da agricultura. 2002. 348p.
  11. 11.0 11.1 Conway, Gordon. Produção de Alimentos no Século XXI: biotecnologia e Meio Ambiente. Estação Liberdade, 2003.
  12. Brom, Frans WA. "Alimentação, as preocupações dos consumidores, e confiança: alimentos ética para um mercado globalizado". Journal of Agricultural e Ética Ambiental 12.2 (2000):. 127-139
  13. Harper, Gemma C., and Aikaterini Makatouni. "Consumer perception of organic food production and farm animal welfare." British Food Journal 104.3/4/5 (2002): 287-299.
  14. 14.0 14.1 COOPERBAND, Leslie. The Art and Science of Composting: A Resource for Farmers and Compost Producers. Madison, Wis.: Center for Integrated Agricultural Systems, 2002. http://www.cias.wisc.edu/wp-content/uploads/2008/07/artofcompost.pdf
  15. WSU. Anaerobic Fermentation. http://whatcom.wsu.edu/ag/compost/fundamentals/biology_anaerobic.htm
  16. EDWARDS, Clive A., Norman Q. Arancon, and Rhonda L. Sherman. Vermiculture Technology: Earthworms, Organic Wastes, and Environmental Management. CRC Press, 2010. https://books.google.com/books?id=_JJ5Cw5BBxEC&printsec=frontcover&dq=vermiculture&hl=en&sa=X&ei=c8nXVMjQCYvxoASSmoDQCA&ved=0CDAQ6AEwAA#v=onepage&q=tea&f=false
  17. BOARD, Niir. The Complete Technology Book on Vermiculture and Vermicompost. National Institute Of Industrial Re, 2004. https://books.google.com/books?id=PwxPUGpRyQkC&printsec=frontcover&dq=vermiculture&hl=en&sa=X&ei=J9DXVJuRI5K3oQTRz4GQAQ&ved=0CDcQ6AEwAQ#v=snippet&q=life-time&f=false